Alaska

Para os povos dos trópicos o Alasca é quase sinônimo único e exclusivo de lugar distante e frio. Não há nenhuma mentira nisso, mas é ingenuidade pensar que essas duas qualidades não ajudam a tornar este destino generoso com o viajante ao entregar cenários que beiram o surreal. Seja em um cruzeiro ou desbravando por terra, o Alasca serve seus visitantes com natureza em estado puro. Ursos devorando salmões à beira dos rios, baleias cercando cardumes, águias em rasantes atrás de suas presas. De densas florestas de coníferas a imensos picos nevados, as paisagens se multiplicam. Entre as vivências ao alcance dos viajantes, remar em caiaques por entre icebergs ou caminhar sobre geleiras com grampos nos pés. No verão os dias podem ter até 20 horas diárias de luz, tempo de sobra para aproveitar ao máximo ao ar livre um dos extremos mais vivos e pulsantes do planeta.