Armênia

O passado é, ao mesmo tempo, tristeza e esperança na Armênia. Tristeza pelos massacres e sofrimento a que seu povo foi submetido em períodos pontuais da história. Mas olhar para trás é também ter uma perspectiva de mostrar ao mundo sua riqueza cultural, em que monastérios medievais muitíssimo bem preservados se espalham por paisagens inconcebíveis. Este pequeno país na região do Cáucaso permaneceu por muitos anos quase oculto aos olhos ocidentais, mas cada vez mais se revela como um destino para quem busca ecos do passado no presente. Um dos mais antigos países a adotarem a religião católica como oficial, orgulha-se por suas aparições nas histórias bíblicas sobre o Monte Ararat, que para grande dissabor armênio, encontra-se hoje em território turco. Outrora majoritariamente agrícola, hoje já conta com mais de 60% da população vivendo em cidades. A capital Yerevan é a expressão de um país em transformação, em que pequenos restaurantes dividem paredes com elegantes bares de vinho, onde Mercedes caríssimas trafegam lado a lado com velhos Ladas, herança do tempo em que pertenceu à União Soviética. Um dos lados da narrativa.