Filipinas

É bem provável que ao pesquisar sobre as Filipinas o viajante dê de cara com alguma de suas 7 mil ilhas, que permitiriam escolher uma praia para cada dia da semana, sem repetir nenhuma por anos. E que, obviamente, fique encantado com a possibilidade de até batizar alguma delas. Ou então que se impressione por este canto extremo da Ásia ter sido colônia espanhola por mais de três séculos e se encante diante da ainda notável arquitetura colonial. Que leia sobre o frescor dos frutos do mar e as belezas submersas em atóis pouco badalados. Se espante com as descrições das tempestades contínuas durante o período das monções. Mas perceba a variedade de possibilidades de viver os dias ao ar livre, com ou sem adrenalina, em caminhadas, passeios de caiaque ou tirolesas infinitas. Apesar da recente invasão de referências culturais norte-americanas, o país ainda guarda algo muito próprio e que destoa de toda a vizinhança. Nem espanhola, nem asiática, as Filipinas têm (e mostram) algo que lhes é exclusivo.