Suécia

Discreta, a Suécia não costuma fazer muito alarde sobre suas belezas, que são muitas. Imensos arquipélagos por onde se pode navegar por muito tempo sem repetir uma ilha sequer. No inverno ou no verão, sob o sol da meia noite, o viajante pode escolher caminhar ou esquiar entre florestas de pinheiros. A sofisticação e tecnologia que permeia tudo no país consegue paradoxalmente torná-lo simples e humano. Espalhada por 14 ilhas conectadas por 57 pontes, Estocolmo é uma capital incrivelmente acessível a pé e forrada por prédios que parecem saídos de contos de fada. É nítido o encanto que a Lapônia, um dos extremos do planeta, ainda exerce nos visitantes. Sem contar a presença da cultura viking, seja em histórias e tradições ou estampada em cidadelas medievais muradas, como a charmosa Visby, e fortalezas à beira-mar. Por mais que não saiam mar adentro atrás de territórios para conquistar, hoje ocupar as ruas e o país é uma premissa da sociedade sueca, faça muito frio ou algum calor.